Guia completo: saúde bucal de cães e gatos

Sabia que os pets podem ter os mesmos problemas nos dentes e na boca que você? A saúde bucal de cães e gatos é coisa séria, pois eles podem desenvolver doenças e inflamações que, muitas vezes, passam despercebidas pelos tutores. Além de correr o risco de o seu pet perder os dentes, ainda há as dores e desconfortos que nem sempre eles transparecem.

Os cuidados com os pets vão muito além de escovar e alimentar. Quando você decide que quer um peludo na sua vida, é preciso ter tempo, dedicação, muito carinho e paciência. Afinal, eles são eternas crianças.

Apesar de poder causar diversos problemas, não é difícil cuidar da saúde bucal do seu pet. Neste post, mostraremos as doenças mais comuns e como evitá-las. Acompanhe!

A importância de cuidar da saúde bucal de cães e gatos?

Muitos cães e gatos desenvolvem problemas bucais que podem levar ao enfraquecimento ou até mesmo á queda dos dentes — além de inflamações e sangramentos na gengiva. Essa é uma condição mais comum que você imagina, porém, é facilmente evitada. Esses problemas são causados pela falta de cuidados adequados desde pequenos.

Os cães idosos, por exemplo, podem ter dificuldades durante a alimentação. Se os dentes estiverem muito fracos, é necessário ter rações específicas ou molhá-las para que fiquem macias e ele consiga se alimentar. Para que você tenha uma ideia da importância de cuidar da saúde bucal do seu pet, algumas doenças podem evoluir e atingir o coração do seu cão ou gato, e o sistema renal.

Quais são os problemas bucais mais frequentes nos pets?

A má, ou falta, de escovação deixa resíduos de comida nos dentes do seu pet, assim como acontece com você. Isso se torna um prato cheio para bactérias causadoras de doenças em cachorros e gatos e de inflamações.

Os pets têm um hálito característico, porém o mau-hálito excessivo e que é percebido de longe, não é normal. Esse é o primeiro sinal de que há muitas bactérias e tártaro ou uma endocardite — infecção bacteriana que atinge o coração. A seguir, confira os problemas bucais mais comuns nos peludos.

Tártaro

O tártaro é uma placa cheia de bactérias que se forma pelo acúmulo de alimentos. Quando os dentes são escovados diariamente, ela não consegue se formar. Porém, quando a escovação não é rotina, elas essas placas se tornam cada vez mais densas e que podem evoluir para inflamações na gengiva e outras doenças periodontais.

Normalmente, esse é um problema que atinge cães e gatos com mais de três anos de idade. O tártaro pode ser identificado de três maneiras: pelo mau hálito excessivo, escurecimento dos dentes e formação de placas amareladas nos dentes, próxima à gengiva.

Em casos simples e em estágios iniciais, uma boa limpeza no médico veterinário resolve o problema. Porém, em quadros mais graves, pode evoluir para perda dos dentes, meningite e infecções generalizadas.

Periodontite

A periodontite é uma inflamação bacteriana que acontece na gengiva e nos tecidos que sustentam os dentes do seu cão ou gato. Ela é comum em pets entre três e cinco anos de idade, e quanto mais velho for o animal, mais sensível à inflamação ele será, aumentando as chances de evoluir para outros problemas.

Além de sangramentos, sensibilidade e dor, a periodontite pode causar a perda dos dentes, alterações no fígado, rins, pulmões e distúrbios sistêmicos. Em quadros mais avançados, a inflamação atinge a corrente sanguínea do pet, causando meningite, infecções bacterianas no coração e nas membranas do coração — endocardite.

O tratamento envolve a raspagem das placas e de raízes expostas, limpeza bucal e polimento. Em alguns casos, pode ser necessária a extração de algum dente. Porém, em situações de inflamações e distúrbios generalizados, pode ser necessário fazer um tratamento com medicamentos e internações. Então, sempre consulte um veterinário antes de o problema evoluir.

Fraturas e perda dos dentes

Doenças e inflamações que afetam a saúde bucal dos pets deixam os dentes mais sensíveis. Há casos em que eles caem do nada e há situações que isso pode acontecer durante a alimentação ou brincadeiras com brinquedos, e mordedores.

Muitas vezes, esses problemas passam despercebidos, porém, alguns cachorros e gatos mudam de comportamento. Alguns param de se alimentar porque sentem dores, outros tentam arranhar a boca e a gengiva.

Reabsorção dentária

O organismo de alguns cães e gatos pode ter uma reação exagerada em relação à placa bacteriana. Quando isso acontece, o sistema imunológico do pet trata essa formação de placa como algo mais sério, causando muita dor e dificuldades para se alimentar.

Com isso, há perda de peso, desidratação, pequenas lesões na boca, salivação excessiva e a tentativa de passar a pata na boca constantemente. Em alguns casos, os dentes ficam mais fragilizados e se quebram muito facilmente.

Normalmente, o dente afetado é extraído, para evitar que a infecção evolua e, apesar de também acontecer nos cães, a reabsorção dentária é mais comuns nos gatos com mais de sete anos.

O que prejudica a saúde bucal dos animais?

Os restos de alimentos, como ração, carnes, biscoito e, até mesmo, frutas e legumes são os principais causadores de doenças que afetam a saúde bucal dos animais. Esses resíduos são normais, porque o pet se alimenta, logo, há acúmulo de comida. Porém, o problema é quando esses resíduos não são retirados por meio da escovação.

Outro fator que pode gerar inflamações e machucados, principalmente na gengiva e no céu da boca do pet, são os brinquedos pontiagudos ou duros demais. Quando lesões são causadas por esses objetivos, elas podem inflamar e evoluir para outros problemas, porque a boca do seu felino ou cão tem milhões de bactérias.

As bactérias levam, em média, 48 horas para se desenvolverem na boca dos peludos. Durante esse processo, elas se proliferam em locais específicos, como na parte superior dos dentes (próximo à gengiva) e formam as placas bacterianas.

Se dentro desse intervalo o cão passar por escovação ou algum petisco próprio para essa remoção, elas não evoluem e são eliminadas. No entanto, quando isso não acontece, são formadas novas placas, sendo ainda mais densas (mineralizadas) e infecções.

Quais são as práticas que colaboram com a boca e os dentes dos pets?

Há problemas simples e bem comuns, mas também há doenças que podem trazer complicações irreversíveis à saúde do seu animalzinho. Porém, essas doenças, bactérias, inflamações e infecções podem ser facilmente evitadas.

São cuidados rotineiros e semanais que evitam dores e quadros prejudiciais à saúde bucal do seu pet. Quer ver como é simples? Acompanhe algumas orientações práticas para cuidar da boca e dos dentes do seu melhor amigo.

Escove os dentes

Escovar os dentes do seu pet pode salvar a vida dele, evitar muitos gastos desnecessários e fazer com que ele envelheça com saúde. O ideal é que o hábito da escovação comece desde cedo, tanto em gatos filhotes quanto em cães pequenos.

O ideal é que você escove os dentes do seu pet ao menos uma vez no dia. Se isso não for possível pela sua rotina, é importante que essa higienização seja feita, ao menos, três vezes na semana. Além da escova própria para cães e gatos, é necessário utilizar o creme dental canino ou felino — jamais utilize o que você usa, porque o flúor para humanos pode causar gastrite nos cachorros e gatos.

Nas primeiras escovações, é comum que os pets se incomodem, por isso é importante acostumá-los desde pequenos. A dica é ir com calma, conversando com o peludo para acalmá-lo, mime, brinque um pouco e sempre faça movimentos delicados. O ideal é fazer isso quando ele estiver mais calmo. Se for em momentos de agitação, além de correr o risco de ele se machucar, será mais difícil conter os ânimos do seu pet.

Ah! Nunca xingue, faça movimentos bruscos, aperte ou fale muito alto. Se isso acontecer, o seu animal sempre associará esse momento a algo ruim. A escovação deve limpar todos os dentes e a língua, sendo que isso leva cerca de um minuto. Outra dica que pode ajudar é fazer isso sempre no mesmo horário, pois os cães e gatos aceitam melhor quando algo é rotineiro.

Faça visitas periódicas ao médico veterinário

Mesmo fazendo a escovação adequada, é imprescindível que o seu pet esteja em dia com as visitas ao veterinário. Além das higienizações em casa, é importante fazer uma limpeza completa no consultório uma vez ao ano.

Esse é um procedimento simples e rotineiro para os veterinários. O seu pet volta para a casa no mesmo dia e, normalmente, não dura mais do que uma 1 hora. Se o seu cão ou gato for mais tranquilinho, tudo é feito sem calmantes. Porém, se ele for muito agitado ou bravo, pode ser necessário sedá-lo.

Nessa limpeza, é feita a raspagem dos dentes, para retirar tártaro, cáries (apesar de ser bem raro) e fazer uma higienização mais completa em toda a boca, incluindo os cantinhos entre os dentes, que normalmente são áreas mais difíceis de escovar.

Utilize outros produtos como aliados

O mercado pet vem evoluindo muito e há diversas opções de produtos eficientes para ajudar na manutenção da saúde bucal dos animais. Os mais fáceis de encontrar em lojas especializadas são:

• spray antisséptico: se o seu pet não aceita escovar os dentes, isso pode ajudar. São soluções que previnem mau hálito e infecções;
• soluções bucais: solução misturada na água para evitar proliferação de bactérias e aparecimento de inflamações.

Vale ressaltar que, por mais que sejam produtos ótimos e eficientes, nenhum deles exclui a necessidade da escovação e das visitas ao veterinário. Essas soluções são aliadas para complementar os cuidados e ajudar nos casos de pets que têm muitas dificuldades em se adaptar ao momento de escovar os dentes.

Além dessas soluções, há brinquedos que também ajudam a evitar a formação de tártaro. Conforme eles vão mordendo e roendo os brinquedos, eles conseguem eliminar restos de comida em algumas partes dos dentes. 

Porém, é importante ter cuidado para evitar brinquedos muito duros, pontiagudos ou que não são próprios para o seu bichano. Esse tipo não ajudará em nada e ainda pode causar feridas, ou seu pet pode engolir partes pequenas.

Como a alimentação influencia na saúde bucal?

Conforme explicamos, os restos de ração e outros alimentos são os responsáveis por desencadearem os problemas bucais dos peludos. Por isso, é importante ter cuidado. Desde a qualidade da ração até os petiscos oferecidos podem ajudar a evitar muitas doenças e desconfortos.

comidas para gatos e para cães que ajudam a evitar a proliferação de bactérias e, consequentemente, a formação de tártaro e outras doenças. A Natural Pro, por exemplo, é uma linha premium que preza pelo valor biológico dos alimentos.

Sem conservantes, corantes ou qualquer outro tipo de aditivo químico, essa linha é produzida somente com ingredientes naturais, como arroz, semente de linhaça e polpa de beterraba. Essa linha tem a Natural Pro Super Macio, que é uma ração semi-úmida. Além de facilitar a mastigação e ser indicada para os pets idosos com problemas para mastigar, ela reduz a formação de tártaros e de mau hálito.

Além de rações adequadas para as necessidades do seu animalzinho e que previnem esses problemas, os petiscos também podem ajudar. Existem biscoitos e palitinhos que com ação antitártaro. Essa é uma maneira atrativa e gostosa dos pets evitarem a formação de placas.

Rações secas e mais densas (desde que de boa qualidade e que seu pet não tenha problemas de mastigação) ajudam na remoção de placas mais recentes. Por serem secas, elas entram em atrito com os dentes, funcionando como uma espécie de raspagem simples.

A saúde bucal dos felinos e dos cachorros deve ser prezada desde pequenos. Afinal, como pode perceber, muitos problemas simples podem evoluir para casos mais graves. Então, para cuidar do bem-estar e da qualidade de vida do seu pet durante toda a vida dele, siga as nossas dicas, faça visitas ao veterinário periodicamente ou sempre que observar que há algo diferente com o seu amigo. Prevenir é melhor que remediar!

Ama o mundo animal? Assine a nossa newsletter e receba mais dicas e orientações para cuidar da saúde do seu pet!