Conheça as 6 principais vacinas de cachorro para proteger seu pet

Tem coisa melhor do que ver nossos pets saudáveis, pulando e correndo pela casa, mordendo tudo e fazendo aquela bagunça de sempre? Para manter a saúde do seu peludo em dia e para que ele fique ativo assim, é necessário manter o cartão de vacina do cachorro em dia.

A imunização é a melhor maneira de proteger o seu cão e você, já que existem doenças transmissíveis aos seres humanos.

Pensando nas dúvidas que sempre recebemos sobre este assunto, vamos mostrar a você quais vacinas e em que idade o seu cãozinho precisa tomar para ficar imunizado e saudável. Veja só!

Saiba a idade ideal para a vacinar o cachorro

Desde filhote, é necessário que o seu cachorro seja vacinado. Normalmente, a primeira dose para proteção é dada entre 45 e 60 dias de vida. Lembrando que, além da vacina para cachorro, é importante administrar um vermífugo indicado pelo veterinário.

Depois, entre quatro e cinco meses, ele tomará outras vacinas, como a antirrábica. Além dessas que devem ser administradas na idade correta, todos os anos ele deve receber o reforço de algumas delas, para que fique protegido de pegar e transmitir doenças.

Demais doses podem ser indicadas dependendo da situação do seu pet e da indicação do médico veterinário.

Conheça as vacinas para cachorro

A seguir, fizemos uma lista das principais doses para manter o cartão de vacina do seu cachorro em dia. Confira!

1. V8

A vacina V8, ou polivalente, protege o seu cãozinho de doenças consideradas graves e deve ser administrada quando ele tem entre 45 e 60 dias de vida. Essa proteção é feita em três doses, sendo que deve haver um intervalo de 25 dias entre uma e outra. Com ela, seu pet fica imunizado das seguintes patologias:

cinomose: doença viral que atinge desde filhotes a adultos e pode levar à falência de diversos órgãos. Além de contagiosa, é altamente letal;
• quatro tipos de leptospirose: atinge os rins e fígado dos cachorros e, além de ser letal, pode ser transmitida para humanos;
• gripe canina: não é letal, mas pode causar grande desconforto no seu bichinho;
• parainfluenza: provoca problemas respiratórios e é altamente contagiosa;
• parvovirose: doença que pode ser fatal por atingir o coração e o sistema gastrointestinal;
• coronavirose: infecção no trato gastrointestinal e contagiosa;
• hepatite infecciosa canina: causa problemas no fígado e é muito agressiva.

2. V10

A vacina V10 é uma atualização da V8. Ela imuniza o seu cão das mesmas doenças, porém o protege de mais dois tipos de leptospirose. Então, pode-se dizer que essa é uma forma mais completa da V8. O reforço de ambas deve ser feito em dose única e anualmente.

3. Antirrábica

Outra vacina para cachorro extremamente importante é a antirrábica. A raiva é uma doença viral e transmissível para os seres humanos. Ela fica alojada nas glândulas salivares dos animais, por isso, o principal sintoma é uma espuma que sai pela boca.

Atualmente, ela é considerada como rara, justamente pelas campanhas de imunização feitas pelas cidades. No entanto, ainda é importante que o seu cãozinho seja protegido, pois ela é fatal em praticamente 100% dos casos.

Após 14 dias da vacinação, o seu cachorro já estará protegido, sendo que a primeira aplicação deve ser feita quando ele tem, pelo menos, quatro meses de vida, pois antes disso ela é ineficaz para proteção. Além disso, o reforço deve ser feito anualmente.

Todos os anos, as prefeituras fazem campanhas para vacinação gratuita de antirrábica, então, fique de olho no calendário.

4. Leishmaniose

A leishmaniose canina é uma doença causada por um parasita. Ela afeta o sistema imunológico do seu peludo e pode ser transmitida para os humanos por meio de um mosquito que pica o cão contaminado e depois a pessoa.

As regiões do interior de São Paulo, Nordeste e Centro Oeste do Brasil são mais afetadas por essa doença, mas isso não quer dizer que somente esses locais devem se preocupar em vacinar o cachorro, pois em grande parte dos casos ela é letal.

A proteção deve ser feita por meio da vacina em cães que tenham pelo menos quatro meses de vida, que estejam saudáveis e não tenham a leishmaniose. A imunização é feita por meio de três doses, que são administradas em um intervalo de 21 dias, e o reforço deve ser feito anualmente.

5. Gripe canina

A gripe canina, ou tosse dos canis, é mais comum no inverno, pois é causada por vírus que se dão bem em dias frios. Os sintomas são bem parecidos com o da gripe que nós temos, como tosse, espirro, secreção no nariz e até mesmo falta de apetite.

Com o tratamento adequado, os pets podem se recuperar em poucos dias, mas prevenir é melhor do que remediar, não é mesmo?

A vacina para o seu cachorro não ter esse problema pode ser administrada a partir de oito semanas de vida, sendo que é preciso aplicar uma segunda dose com um intervalo entre duas e quatro semanas. O seu peludo ficará protegido após 21 dias da segunda dose e ela deve ser reforçada anualmente.

6. Giárdia

A giárdia é uma infecção causa por um parasita que fica no intestino. O contágio acontece quando o cachorro come algo contaminado, normalmente, água ou contato com fezes contaminadas. Os sintomas são diarreia, perda de peso, desidratação, dores abdominais e bastante vômito.

Quando ela é assintomática, pode evoluir rapidamente para quadros letais, por isso a prevenção é tão importante. A vacina para o cachorro ficar protegido é administrada quando ele tem 12 semanas de idade. São aplicadas duas doses com intervalo de três a quatro semanas e deve ser feito um reforço anual de dose única.

As vacinas para cachorro podem evitar o sofrimento e a perda do seu peludinho. Então, tão importante quanto vaciná-lo é manter o calendário em dia, pois as imunizações podem perder força com o tempo. Por isso, o reforço anual é necessário para mantê-lo saudável por toda a vida.

O que acha de receber mais dicas para cuidar do seu pet? Basta assinar a nossa newsletter para ter mais orientações de como deixá-lo sempre saudável!