Otite canina: causas, sintomas e cuidados

A otite canina é uma inflamação do canal auditivo que atinge os cães pelo menos uma vez na vida. Coçar as orelhas, chacoalhar a cabeça e odor diferente proveniente das orelhas são sinais comuns.

Cães mais afetados

Essa doença pode acontecer em qualquer cachorro, mas os que têm maior risco de proliferação de micro-organismos são:

  • Cachorros que tomam banho com frequência, porque ficam com o canal auditivo úmido.
  • Muito pelo na região auricular, como Poodle, Schnauzers e Terries.
  • Cães de orelhas caídas, porque dificulta a ventilação do canal, tornando-se um ambiente quente, úmido e escuro, como os Basset Hound, Golden Retrievers e Beagles.
  • Raças com canais auditivos estreitos, como os Shar Pei.

Causas

Os fatores que causam a otite são diversos, entre eles bactérias, fungos, parasitas, excesso de cera, sarna, desequilíbrio hormonal, presença de um corpo estranho e até hereditariedade.
– Bactérias: nota-se presença de pus.
– Fungos: causa mais comum da otite, percebe-se acúmulo de cera e cheiro adocicado.
– Parasitas: contágio por carrapato e ácaros.
– Excesso de cera: fermentação local que produzirá odor fétido e, posteriormente, inflamação.

Sintomas

Os sintomas variam conforme o tipo da otite, mas alguns são comuns. E caso seu cão apresenta um desses sintomas, leve-o ao veterinário:

  • Constante coceira na orelha.
  • Sacode a cabeça com frequência ou a mantém inclinada.
  • Mau cheiro nas orelhas.
  • Vermelhidão, escurecimento ou crostas no ouvido.
  • Secreção do canal auditivo (pus).
  • Dor nas orelhas ou ao redor (note se ele se afasta quando alguém tenta tocá-lo na região).
  • Ferimento ao redor das orelhas, por causa da coceira constante.

Tratamento

Para fazer o tratamento adequado da otite canina, é necessário a visita ao veterinário para que seja feito o devido diagnóstico. Nunca automedique seu cão.
Normalmente, o procedimento está associado ao uso de medicação e limpeza dos ouvidos. É imprescindível que a receita passada pelo veterinário seja seguida a risca, aplique no tempo e na duração recomendada.

Prevenção

Higienize a parte externa das orelhas do cão, pelo menos uma vez por semana, com algodão umedecido (não usar álcool, água oxigenada ou cotonetes). Para cães com muito pelo na região, o melhor é tosar para evitar retenção de sujeira.

Se desconfiar que seu cão apresenta algum dos sintomas acima, não hesite em levá-lo ao veterinário. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais simples é o tratamento.

Fonte: CPTTudo Sobre CachorrosPerito Animal