Cachorro ofegante: Quando é preciso se preocupar?

Ver seu cãozinho com a boca aberta e aquela baita língua de fora é uma das cenas mais prazerosas para o dono de um cachorro. Ela quase que nos hipnotiza. Já estamos mais do que acostumados a vê-los assim, com a respiração acelerada, porém, quando que a respiração ofegante pode ser sinal de preocupação? 

Em primeiro lugar é importante entender que esse comportamento dos cachorros é um mecanismo natural para equilibrar a temperatura corporal e aliviar o calor; é muito comum como indicação de cansaço físico após alguma atividade ou exercício pesado. No entanto, a respiração ofegante anormal apresenta sintomas bem específicos que o dono precisa conhecer para socorrer o animal. 

• Quando há a falta de ar, o cachorro fica com a língua para fora e com o pescoço esticado, a fim de abrir as vias respiratórias. 
• Tosses podem acompanhar esse problema. 
• O animal fica mais cansado do que o normal. 
• A língua pode ficar roxa, com falta de oxigenação no sangue (um sintoma grave).  

Causas da respiração ofegante

Determinadas raças têm uma predisposição genética a problemas respiratórios. Elas são conhecidas como braquicefálicas; em palavras mais simples, são as raças de focinho curto e achatado que dificultam a respiração. São exemplos o pug, lhasa apso, shih-tzu, pequinês, buldogue inglês e o boxer. 

Outras possíveis causas são: 

• Excesso de calor.
• Dores no corpo.
• Problemas cardíacos (sobretudo em cachorros mais velhos).
• Problemas respiratórios (sim, cães também podem ter asma e bronquite, por exemplo).
• Motivos emocionais como fobia, medo e ansiedade.

O que fazer quando identificar a falta de ar

Assim que identificada a situação, o dono precisa tentar manter a calma e deixar o cachorro o mais confortável possível, sem movimentos bruscos e sem desespero. A agitação do dono pode aumentar a ansiedade do animal e agravar a situação. 

Leve o pet o mais rápido possível ao veterinário; somente ele poderá realizar os exames e a avaliação necessários para entender exatamente o que está acontecendo com o peludo e indicar o tratamento adequado para o bem-estar do seu bicho e jamais o medique por conta própria.