Siamês: a origem das raças

Depois de muitos pedidos, miados, lambidas e arranhões chegou a vez de dar espaço aos felinos nesta editoria sobre a origem das raças. E começaremos em grande estilo, com o querido e popular gatinho dos olhos azuis, o Siamês.

Trata-se de uma das raças mais antigas, havendo registros de sua existência desde 1350. O seu nome remete à sua origem, uma região do Sudeste asiático chamada Sião, a atual Tailândia. Pela sua natural elegância e por sua docilidade, os siameses eram os animais de companhia prediletos da nobreza. Não se sabe bem ao certo como eles chegaram na Europa, mas sabe-se que por volta de 1870 a raça já era conhecida na Grã-Bretanha e que em 1900 já se encontrava na América.

O que fez o siamês ser tão popular desde aquela época?

Além da sua beleza e charme, é um gato muito companheiro e dependente do seu dono. É ativo, brincalhão, alegre e, por incrível que pareça, adora conversar e interagir. Enquanto outros gatos procuram ronronar e se esfregar para dar a entender o que querem, o siamês irá miar. Quem é dono de siamês sabe que ele mia para brincar, comer, reclamar, chamar a atenção e pedir as coisas.

Como qualquer felino, os siameses também têm o seu momento de privacidade, onde querem ficar sozinhos. Fora isso, são verdadeiras sombras de seus donos. São muito inteligentes e ciumentos, exigindo que os donos os socializem para que não estranhem os demais pets, familiares ou visitas.

Quando filhotes, seus pelos são muito claros, mas atingem a sua pelagem definitiva entre o 5º e 8º mês de vida, com as extremidades – patas, rabo e focinho – mais escuras que os demais pelos.

O seu dono deve estar disposto a dar muita atenção e evitar deixá-lo sozinho com elevada frequência. Muito carinhoso, dependente e comunicativo, com certeza ele é uma ótima companhia.

Conheça mais a linha de produtos para gatos Baw Waw.

Foto: lovetoknow/Google